Últimas Notícias
recent

COPA EM FAMÍLIA



Por Daniel Nápoli


Ao longo da história, a Copa do Mundo contou com diferentes gerações de uma mesma família, disputando o principal torneio de futebol do planeta.
Abaixo, você confere a lista de familiares, que mais do que a genética, dividiram a profissão e parte do talento nos gramados.


Da Guia

 A família que abre a lista, pode não ter conquistado uma Copa do Mundo, mas marcou época em posições e épocas diferentes, por seus clubes.








O primeiro deles, Domingos da Guia, zagueiro, brilhou com a camisa da seleção brasileira no Mundial de 1938, em que o país acabou na terceira colocação.
Anos depois, seu filho, Ademir, meio-campista, participou da campanha que rendeu ao Brasil, o quarto lugar na Copa de 1974.






Bálcazar/Hernández



Esta família mexicana, já este representada por três diferentes gerações, em Mundiais.Na Copa do Mundo de 1954, o atacante Tomás Bálcazar, esteve representando o país, na Suiça. 









Décadas mais tarde, seu neto, o atacante Chicharito Hernandez, defendeu o México, nas Copas de 2010 e 2014, tendo grandes chances de ir ao Mundial da Rússia, deste ano.








Porém, antes do caçula, seu pai, Chicharo Hernandez, também atacante, genro de Bálcazar,  disputou em casa, o Mundial de 1986.







Walter

Os irmãos e atacantes Fritz e Ottmar Walter participaram de forma efetiva da então inédita conquista da Alemanha, na Copa do Mundo de 1954, disputada na Suiça. 









Fritz, o irmão mais velho, voltaria a disputar um Mundial, quatro anos depois, na Suécia.








Rhan/Boateng

Meio-campo da Alemanha campeã mundial de 1954, Helmut Rhan foi uma das peças fundamentais para a conquista inédita, tendo marcado dois gols na decisão contra a poderosa Hungria. Os tentos marcados foram o do empate e o da virada alemã, que perdia a decisão por 2x0. A proeza, rendeu ao jogo o apelido de “Milagre de Berna”, que virou até filme.Rhann defendeu a Alemanha ainda no Mundial de 1958, disputado na Suécia.



Muitos anos depois, Kevin -Prince Boateng, sobrinho neto de Rhann, voltou a representar a família, em Copas do Mundo, mas pela seleção de Gana.








Jérome Boateng, meio-irmão de Kevin-Prince, jogou as Copas do Mundo de 2010 e 2014,   pela Alemanha, tendo conquistado a taça, na última edição.







Maldini

Zagueiro de extremo talento, Cesare Maldini defendeu a Itália na modesta campanha da Copa do Mundo de 1962.  No Mundial da França, em 1998, voltou a disputar o torneio, mas como treinador, levando a Azzura às quartas-de-final.






O segundo Maldini a participar de uma Copa do Mundo, foi o filho de Cesare,  Paolo, que embora não tenha conquistado o título, disputou mais edições.
A primeira Copa de Paolo, foi justamente em solo italiano em 1990, quando ficou em terceiro lugar. No Mundial seguinte, em 1994, viu o sonho do tetra ruir diante do Brasil.
A Copa de 1998, embora tenha visto a Itália ficar nas quartas de final, teve um sabor especial, pois o treinador era justamente o seu pai.


Sua última Copa do Mundo como jogador, foi em 2002, na Coréia do Sul e no Japão, quando foi eliminado nas oitavas de final. Curiosamente, no Mundial seguinte, quando havia se aposentado da seleção, a Azzurra faturou a taça.


Buffon

Camisa 1 da seleção italiana e seu capitão,  o goleiro Lorenzo Buffon defendeu a Azzurra durante  Copa do Mundo de 1962. Anos depois, seu primo de quarto grau, Gianluigi Buffon, também goleiro, não só defendeu os italianos em Mundiais, como entrou para a história.





Ao disputar as Copas do Mundo de 1998, 2002, 2006, 2010 e 2014, Gigi  se tornou ao lado de Antonio Carbajal (MEX) e Lothar Matthaus (ALE), o jogador que mais disputou edições do Mundial.
Na Copa de 2006, Buffon ainda chegou ao auge de sua carreira, ao ser uma das peças fundamentais na conquista do tetracampeonato da Itália.



Weiss



Vladimír Weiss atuou no meio-campo da Tchecoslováquia na Copa do Mundo de 1990, quando chegou até as quartas de final da competição.








 Após 20 anos, pode treinar seu filho, também chamado Vladimír Weiss, no Mundial da África do Sul, pela Eslováquia.






Song




O zagueiro camaronês Rigobert Song defendeu seu país nos Mundiais de 1994, 1998, 2002 e 2010. 






Em sua última participação, atuou ao lado do primo,  o volante Alexandre,  que também jogou a Copa de 2014, disputada no Brasil.








Touré



O zagueiro Kolo e seu irmão, o volante Yaya Touré, jogaram juntos pela Costa do Marfim, em três Copas do Mundo (2006, 2010 e 2014).






Em todas as oportunidades, os marfinenses foram eliminados ainda na primeira fase,  mas ambos deixaram o sobrenome na história.






Palacios



A Copa do Mundo de 2010 registrou o primeiro e até o momento, último caso de três irmãos disputando o torneio. 










Naquela edição, Honduras foi a Copa com o atacante Jerry, o meia Wilson e o zagueiro Johnny  Palacios. 









A seleção foi eliminada na primeira fase, mas os parentes entraram para a história não só por serem irmãos, mas por fazer parte da primeira participação hondurenha da história das Copas.





Barreto




O meia Édgar Barreto atuou pela seleção paraguaia nas Copas do Mundo de 2006 e 2010, sendo que na última, seu irmão, o goleiro Diego também integrou o grupo.










No Mundial da África do Sul, os irmãos fizera parte do grupo que conquistou o melhor resultado da história do Paraguai, até os dias de hoje, quando foram eliminados nas quartas de final, para a Espanha, que viria a ser a campeã daquela edição.









Moura Nápoli

Moura Nápoli

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ITUANO RESCINDE CONTRATO COM EDUARDO RAMOS

EXPERIENTE MEIA DEIXA O ITUANO. FICOU A EXPECTATIVA DE QUE PODERIA TER RENDIDO MAIS... O Ituano anunciou na manhã de desta segunda (27), q...

OS GRANDES PARCEIROS

OS GRANDES PARCEIROS
Tecnologia do Blogger.