Últimas Notícias
recent

AGENTES DA ANVISA INVADEM CAMPO E PARALISAM BRASIL X ARGENTINA

AÇÃO TAMBÉM TEVE A PARTICIPAÇÃO DA POLÍCIA FEDERAL. OBJETIVO FOI A RETIRADA DE QUATRO ATLETAS ARGENTINOS QUE DESCUMPRIRAM QUARENTENA


Por Daniel Nápoli

Neste domingo (5), Brasil x Argentina entraram em campo, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, na Neo Química Arena, em São Paulo. Porém, aos quatro minutos de jogo, a partida foi interrompida com a entrada no gramado de Agentes da Anvisa e da Polícia Federal.

A ação, teve como objetivo impedir que o goleiro Emiliano Martínez, o zagueiro Cristian Romero, o volante Lo Celso e o meia-atacante Emiliano Buendía, disputassem a partida.

Explica-se. De acordo com a Anvisa, os quatro atletas declararam não ter passagem por nenhum dos quatro países com restrições em relação à pandemia de Covid-19, nos últimos 14 dias, entre eles a Inglaterra, justamente o país em que eles atuam em seus clubes.

A portaria nº 655, de 23 de junho de 2021, estabelece regras para a entrada de estrangeiros no Brasil durante a pandemia de Covid-19, e diz o seguinte:

§ 7º O viajante que se enquadre no disposto no art. 3º, com origem ou histórico de passagem pelo Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, pela República da África do Sul e pela República da Índia nos últimos quatorze dias, ao ingressar no território brasileiro, deverá permanecer em quarentena por quatorze dias.

Os quatro jogadores chegaram ao Brasil em voo de Caracas/Venezuela, com destino a Guarulhos, na sexta-feira (3), porém notícias não oficiais teriam chegado até a Anvisa, denunciando as supostas declarações falsas.

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) teria intercedido junto ao Governo Federal, apoiando à Conmebol e a AFA (Federação Argentina) e teria garantido um acordo para que os quatro argentinos pudessem atuar. Porém, esse acordo não foi oficialmente confirmado.

Em entrevista à TV Globo, Antônio Barra Torres, diretor-presidente da Anvisa, comentou o caso, destacando que houve uma série de descumprimentos sanitários por parte dos argentinos. “Chegamos a esse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou antes não foi cumprido. Esses jogadores tiveram a orientação de ficarem isolados para serem deportados. O isolamento poderia ser até mesmo no hotel. Mas isso não foi cumprido. Eles entraram em campo ainda. Há uma sequência de descumprimentos”.

Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde do Estado de São Paulo, também se pronunciou. “Ninguém está à margem disso, nem eu. É imprescindível que todas as medidas sanitárias sejam cumpridas para garantir segurança a todos – a outros jogadores, a colaboradores e ao público”.

Após quase uma hora do início da paralisação do jogo, a Argentina decidiu não retornar para o jogo e agora caberá à FIFA uma decisão sobre o que acontecerá (uma nova data para o jogo, ou W.O, ou até mesmo uma outra punição para a Argentina).

Presidente em exercício da CBF, Ednaldo Rodrigues, se pronunciou à TV Globo "Todos levaram um susto. Primeiro quero dizer que é lamentável um episódio desse tipo. Brasil e Argentina desperta o interesse de todo mundo. Há três dias, pelo o que tomamos conhecimento, a Anvisa já estava acompanhando a seleção da Argentina. Se estava acompanhando, e tem o protocolo da Anvisa. Nos causou muita estranheza deixar para depois que o jogo se iniciasse. Em momento algum a CBF foi parte, por quem quer que seja, com relação a qualquer negociação para retirar atletas da equipe. Muito pelo contrário, a CBF respeita as normas sanitárias, isso seria uma situação da Conmebol com a Anvisa. Ainda antes da partida se iniciar, o delegado da partida disse que poderiam jogar, para depois serem deportados. Mas depois, por um motivo que a CBF não conhece, mudaram."

Toda a situação da paralisação entre Brasil x Argentina foi mais do que necessária. Mostrou que leis existem para que sejam cumpridas. O futebol não está acima do bem e do mal, assim como qualquer outro esporte. Não é um mundo paralelo. A Anvisa ao lado da Polícia Federal, mostrou que chega de “jeitinho”, chega de querer fazer acontecer na marra. A lei e a saúde estão na frente de tudo.

Agora é aguardar as cenas dos próximos capítulos.

 

Foto – Bruno Cassucci

Moura Nápoli

Moura Nápoli

Nenhum comentário:

Postar um comentário

JORNALISTAS OPINAM SOBRE PROPOSTA DE ALTERAR PERÍODO DE REALIZAÇÃO DA COPA DO MUNDO

AO MOMENTO DO ESPORTE, ALEX FERREIRA, JÉSSICA CORSI E VANDER LUIZ ROSA ANALISAM Por Daniel Nápoli Há meses, a FIFA criou um grupo para e...

OS GRANDES PARCEIROS

OS GRANDES PARCEIROS
Tecnologia do Blogger.